Notícias
O que deve saber sobre o mercado imobiliário
Notícias
Voltar \ Lisboa reabilita vilas operárias para habitação acessível para jovens

Lisboa reabilita vilas operárias para habitação acessível para jovens

28 nov 2016
Lisboa reabilita vilas operárias para habitação acessível para jovens
Geral, Imobiliário, Grupo PRUMMO
Um total de 34 pátios e antigas vilas operárias da cidade de Lisboa vão ser reabilitados pela Câmara Municipal, com o objeteivo de aumentar a oferta de habitação acessível para os mais jovens. O projeto, que arranca no próximo ano com três bairros em Campolide, Beato e Belém, envolve ainda as freguesias de São Vicente, Marvila, Ajuda e Alcântara, num investimento total de sete milhões de euros.

Um total de 34 pátios e antigas vilas operárias da cidade de Lisboa vão ser reabilitados pela Câmara Municipal, com o objeteivo de aumentar a oferta de habitação acessível para os mais jovens. O projeto, que arranca no próximo ano com três bairros em Campolide, Beato e Belém, envolve ainda as freguesias de São Vicente, Marvila, Ajuda e Alcântara, num investimento total de sete milhões de euros.

“Fizemos a análise daquilo que são os pátios e vilas de propriedade municipal. Alguns não têm viabilidade, estão em estado muito avançado de degradação […] e, portanto, serão demolidos e o espaço público será devolvido à população, mas naqueles que têm viabilidade avançamos com a requalificação integral”, revela a vereadora da Habitação da CML, citada pela Lusa.

Convivência de jovens com idosos

O objetivo é “pôr os fogos em habitação acessível, direcionados a gente mais nova”, segundo explica Paula Marques, frisando que “a ideia é ser uma coisa inter-geracional”, com “gente mais nova num espaço onde há gente mais velha”, uma vez que “o pátio e a vila são óptimos do ponto de vista da promoção da convivência, mais do que um edifício”.

Nas obras de reabilitação, a Câmara promete que vai ter em conta a “preservação da memória histórica deste tipo de construção, que é muito diferente do resto do património disperso, a requalificação do espaço público interno ao pátio, a requalificação dos devolutos e a requalificação do [edificado] existente”, precisou a também responsável pelo pelouro do Desenvolvimento Local.

CML vai investir 35 milhões em habitação em 2017

Para 2017, o orçamento camarário de Lisboa prevê um investimento em habitação na ordem dos 35 milhões de euros. Deste montante, 7,5 milhões de euros serão suportados pelo empréstimo feito ao município pelo Banco Europeu de Investimento (que é de 250 milhões de euros até 2020 e prevê uma fatia de 75 milhões de euros para habitação social).

“Em 2017, é a continuação daquilo que temos vindo a fazer, com maior capacidade de execução, do ponto de vista financeiro”, precisa a vereadora, aludindo a intervenções nos bairros municipais, nos fogos devolutos e em património disperso, tal como escreve a agência de notícias. 

Veja Também