Notícias
O que deve saber sobre o mercado imobiliário
Notícias
Voltar \ Valor das rendas declaradas ao Fisco por recibo eletrónico aumentou 33%

Valor das rendas declaradas ao Fisco por recibo eletrónico aumentou 33%

26 jan 2017
Valor das rendas declaradas ao Fisco por recibo eletrónico aumentou 33%
Geral, Imobiliário, Grupo PRUMMO
O valor de rendas que os senhorios declaram ao Fisco aumentou quase 33% num ano: em 2016 face ao ano anterior. Em média, cada um dos 291.558 proprietários que emitiram recibos eletrónicos teve um rendimento de 5.955 euros em 2015, um valor que subiu para 6.101 euros no ano passado. Para a Associação de Inquilinos Lisbonenses (AIL), parte desta subida deve-se ao maior controlo do Fisco e ao cada vez maior cruzamento de dados entre os contratos e os consumos de eletricidade, gás, água e telecomuni

Segundo o Dinheiro Vivo, que cita fonte oficial do Ministério das Finanças, em 2015, foram passados 3,9 milhões de recibos eletrónicos de renda, no valor total de 1,7 mil milhões de euros – foi nesse ano que a maioria dos proprietários teve de abandonar os recibos em papel e aderir à versão eletrónica. Foram 291.558 proprietários que o fizeram.

Já em 2016, o cenário mudou de figura: o número de proprietários que emitiu recibos eletrónicos aumentou 29% (377.587) e o valor total de rendas ascendeu a 2,3 mil milhões de euros (mais 32,7%). A subida mais significativa verificou-se no universo de recibos emitidos, que teve um acréscimo de cerca de 52%, ultrapassando os 5,9 milhões.

Romão Lavadinho, presidente da AIL, considera que se trata de uma subida “natural”. Um reflexo do “maior controlo” que a obrigatoriedade da emissão de recibos e do registo dos contratos de arrendamento trouxe. “Muitos senhorios passaram a ter mais consciencialização e começaram a passar recibos”, disse, citado pela publicação.

De referir que os recibos eletrónicos chegaram em 2015, estando apenas dispensados de os emitir os senhorios com idade superior a 65 anos, que não estejam obrigados a ter caixa postal eletrónica e com um rendimentos de rendas inferior a 838,44 euros por ano. Quem não emite recebidos está obrigado a entregar ao Fisco uma Declaração Anual de Rendas (também conhecida pelo Modelo 44), tendo esta de ser submetida até ao final de janeiro. 

Veja Também